Atualmente, em um cenário cada vez mais favorável à internacionalização dos negócios e à fusões e aquisições, investidores, vendedores e compradores necessitam ter em mente um balizamento, uma estimativa do valor das empresas “alvo” envolvidas em possíveis negociações.

E, este momento, é de crucial importância para os empresários, visto que, precificar um negócio em andamento não é uma tarefa das mais simples.

O valor de um negócio, de uma operação, das cotas de capital e, também da marca, não pode ser medido somente pelos ativos operacionais registrados na contabilidade. O valor real de um negócio é sim, a sua capacidade de gerar a riqueza ao longo de sua existência!

Verifica-se estatisticamente que, na grande maioria das situações, os empresários não estão preparados para vender e ou, quantificar o valor da empresa ou sua participação nela. Não sendo raros os casos em quea atribuição de um valor baseado em sentimentalismos pessoais, histórico de vivência, dificuldades enfrentadas, e até mesmo no tino empreendedor do empresário.

Outra questão importante a ser ressaltada é que o desempenho histórico da organização em pouco contribui para garantir o seu sucesso futuro, não sendo portanto, componente de agregação de valor.

Resumindo, isso seria o mesmo que tentar recursos financeiros argumentando com as instituições financeiras os feitos e realizações até então ocorridas.

Alguns pontos que penso ser crucial para que o empresário contrate uma avaliação econômica são, além da preparação do negócio para início de possíveis transações, uma avaliação também disponibilizará ao empresário, uma visão de planejamento, tanto financeiro quanto operacional, de médio e longo prazos que servirá de ferramenta de monitoramento da agregação de valor gerado pelas ações administrativas implantadas, ou seja, passa-se a poder quantificar a eficiência da gestão dos negócios.

Entenda que, falamos em “geração de valor” O que pode ser mais importante do que a geração futura de valor para os negócios?

Conhecer os números reais da organização é a chave para poder avaliar uma empresa corretamente. Se a empresaé pequena, média ou grande não importa, o principal é possuir contabilidade organizada e confiável para apresentar aos público externo. O valor justo de uma empresa é representado e possui força de acordo com a geração de resultados futuros e da confiabilidade de seus registros contábeis.

Uma avaliação econômicaé baseada em parâmetros técnicos e não somente em desempenho passado nem em sentimentalismos pessoais sobre o futuro.

Um segundo viés na formatação do valor justo de negócios é analisar a situação patrimonial da empresa, ou seja: – Como estão compostos os valores dos ativos operacionais, os créditos e os débitos, as contingências e passivos ocultos se existirem.

O valor da empresa pode ser analisado também, através de outras metodologias diferentes e, as mais conhecidas seriam: – valor do Patrimônio Líquido, que leva em consideração o capital aplicado e os resultados auferidos, positivos ou não e, – o somatório de todos os seus Créditos menos todos os Débitos, que leva em consideração os Ativos Circulante e Permanente contra o Passivo Circulante de curto e longo prazos e o arbitramento por múltiplos de EBITDA.

Existem atividades onde a marca representa o principal potencial de geração de caixa e consequente o valor justo do negócio. Assim, é interessante fazer uma avaliação da marca registrada atravésda análisedo potencial de geração de caixa do negócio avaliando.

Deve-se atentar para uma questão de suma importância quando se busca avaliar uma marca. Como a marca é um dos ativos intangíveis existentes na organização, o analista deve ter uma base forte de dados e valores que são: – Valor econômico gerado; – Valor dos ativos operacionais atualizados para que possa calcular corretamente o valor da marca pela metodologia do FCD – Fluxo de Caixa Descontado, que é a metodologia mais aplicada e reconhecida pelo mercado atualmente.

Além de tudo isso, tanto a empresa quanto avaliador devem ter em mente toda a legislação pertinente atualmente aplicada no país no que tange à apresentação das peças contábeis dentro dos padrões internacionalmente aceitos de contabilidade tanto na área administrativa quanto na jurídica para o sucesso em possíveis negociações.

 

Não que o empresário deva ser compelido a avaliar a empresa somente quando aparecer um provável negócio mas, também para estar preparado antecipando-se a eventos futuros e ou, análise do próprio desempenho e da administraçãoem sua capacidade de geração de valor para o negócio, que difere da geração de lucros.

 

Neste contexto, estamos preparados para ajudar-lhe em todas estas questões. Contate-nos sem compromisso. Iremos até sua empresa para auxiliá-lo em suas atividades! Econ. André M Weber, 54-3066-4808 ou avaliacoes@controle-rs.com.br ou visite nosso site: www.controle-rs.com.br.